Possibilidades do Ateliê Contemporâneo

Material gráfico de divulgação

Entrada do auditório e poster de divulgação // EAV-Parque Lage

Imagem do auditório

Auditório

Auditório

O seminário Possibilidades do Ateliê Contemporâneo colocou em discussão o uso do ateliê para a produção artística atual. Através de três mesas realizadas ao longo de três dias consecutivos, artistas e coletivos de diferentes regiões do Brasil relataram suas experiências de uso ou descarte desse espaço.

Os objetivos do seminário estavam centrados na investigação da importância – física e simbólica – do ateliê para a produção contemporânea brasileira e nas diferentes modalidades que esse lugar pode adquirir, dependendo da forma de trabalho de cada artista.

As mesas:

- A Função do Estúdio: do galpão à galeria, passando pelo escritório.

Lílian Maus (Ateliê Subterrânea, Porto Alegre)

Alê Souto (APIS, Espaço C.A.V.E, Rio de Janeiro)

Victor Arruda (artista, Rio de Janeiro)

Mediação: Fernanda Pequeno (crítica de arte e curadora).

- O Ateliê é o Mundo: do laboratório à cidade, passando pelo avião.

Graziela Kunsch (artista e curadora, São Paulo)

Bárbara Collier (Branco do Olho, Recife)

Malu Fatorelli (artista e professora da linha de pesquisa Processos Artísticos Contemporâneos, PPGArtes/UERJ) 

Mediação: Marisa Flórido Cesar (crítica, curadora e pesquisadora do tema) 

- A Torre que não é de Marfim: da casa à escola, passando pelo computador.

Jailton Moreira (Torreão, Porto Alegre)

Cadu (artista, Rio de Janeiro)

Rosana Ricalde (artista, Rio de Janeiro)

Mediação: Guilherme Bueno (crítico de arte e curador)

 

Local: Salão Nobre da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rio de Janeiro.

Data: 13 a 15 de abril de 2010.

Concepção e curadoria: Fernanda Pequeno

Elaboração e realização: Projeto Subsolo

Patrocínio: edital REDE Nacional Funarte 2009